Minas atinge marca de 2 mil mortes causadas pelo novo coronavírus 19 dias depois das primeiras mil

No dia 1º de julho, três meses depois de registrar sua primeira morte causada pelo novo coronavírus, Minas Gerais atingiu a triste marca das mil pessoas mortas pela doença. E bastaram 19 dias para o número de óbitos dobrar e passar de 2 mil. Nesta segunda-feira (20), segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde, o estado já teve 2.004 vítimas da Covid-19.

Mortes por Covid-19 em Minas
CasosMortes confirmadas por Covid-19 em Minas Gerais28 de março7 de maio22 de maio3 de junho10 de junho16 de junho23 de junho25 de junho29 de junho1º de julho10 de julho20 de julho05001000150020002500

29 de junho
● Mortes confirmadas por Covid-19 em Minas Gerais: 940
Fonte: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

O governador Romeu Zema (Novo) escreveu uma mensagem prestando solidariedade aos familiares das mais de 2 mil vítimas da Covid-19 em Minas:

“Minha solidariedade e meu carinho aos familiares das 2.000 pessoas que tiveram suas vidas interrompidas pelo coronavírus em Minas. Lamento muito também os mais de 79 mil óbitos no Brasil causados por essa doença tão perigosa e imprevisível. Temos mais de 2 milhões de infectados no país. Peço que não subestimem esse vírus. Lembrem-se, neste momento, o distanciamento e os cuidados de higienização salvam vidas. Se cuide e cuide das pessoas que você ama!”

Rostos e histórias por trás dos números: algumas vítimas do novo coronavírus em Minas Gerais. — Foto: Arquivo pessoal

Rostos e histórias por trás dos números: algumas vítimas do novo coronavírus em Minas Gerais. — Foto: Arquivo pessoal

Ao todo, 94.132 mineiros já foram diagnosticados com a doença desde o início da pandemia. Foram 1.160 casos e 22 mortes confirmados nas últimas 24 horas. Outros 146 óbitos estão em investigação.

Ainda segundo os dados do governo, 66.369 pacientes se recuperaram da doença no estado.

Desse total de pacientes diagnosticados com a Covid-19, 10.979 tiveram que ser internados na rede pública ou privada e 83.153 ficaram em isolamento domiciliar. Em 2020, houve 32.138 internações por síndrome respiratória aguda grave (na qual se inclui a Covid-19), 1072% a mais em relação ao mesmo período de 2019.

Na rede pública, 61.084 pessoas foram testadas para saber se estavam com Covid-19.

Especialista analisa os quatro meses de quarenta

Casos por município

Dos 853 municípios mineiros, 772 já tiveram ao menos um caso do novo coronavírus. Isso representa 90% do total de cidades no estado. Ao todo, 343 municípios já tiveram ao menos uma morte decorrente da Covid-19.

Gráfico mostra avanço de mortes por Covid-19 em Belo Horizonte. — Foto: G1

Gráfico mostra avanço de mortes por Covid-19 em Belo Horizonte. — Foto: G1

O município com mais casos da doença é Belo Horizonte, com 13.700, com 342 mortes. A capital está totalmente fechada, permitindo apenas abertura de serviços essenciais, desde o dia 29 de junho. Em seguida, aparecem Uberlândia (10.548), com 166 mortes, Ipatinga (4.514), Juiz de Fora (3.014) e Governador Valadares (3.004).

Ocupação dos leitos

Na manhã desta segunda-feira (20), a taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 67%, referente ao dia 20 mesmo. Na região central do estado, chega a 79%. São 3.561 leitos de UTI públicos.

Já a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria em Minas está em 58%. São 20.735 leitos de enfermaria. Na região central, a taxa chega a 71%.

Perfil dos pacientes

A maioria dos pacientes que morreram em decorrência do novo coronavírus são homens: 57% do total. E idosos: 76% tem mais de 60 anos. 36% são de cor branca e 37% de cor parda. Além disso, 83% dos óbitos ocorreram em pacientes que já tinham fatores de risco, principalmente doença cardiovascular, hipertensão e diabetes.

Outros fatores de risco registrados foram pneumopatia, doença renal, transtornos mentais, doença neurológica, tabagismo, neoplasia, hipotireoidismo e doença genitourinária.

No início da pandemia, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) informava qual era a comorbidade de cada paciente que havia morrido com a Covid-19. Em abril, no entanto, a pasta parou de informar. Questionada, a SES disse que, pela “possibilidade de ocorrência em municípios de pequeno porte”, “os pacientes podem ser facilmente identificados, quando descritas características específicas”. “Assim sendo, no intuito de mantermos a confidencialidade das informações fornecidas pelos pacientes e/ou familiares, passamos a não mais divulgar o descritivo detalhado de informações por paciente”.

O município com mais mortes até agora foi Belo Horizonte, com 342. Em seguida, Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com 166 óbitos, Juiz de Fora, na Zona da Mata, com 87, e Governador Valadares, com 70, e Ipatinga, com 69.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *