Menina Solta, Giulia Be reflete sobre autoaceitação: ‘É uma batalha diária’

A carioca Giulia Be, dona do hit “Menina Solta”, tem apenas 21 anos e passa em suas letras a segurança de uma mulher dona de si. Não é à toa que em uma de suas músicas ela canta: “O foda é que eu te amo, mas eu me amo mais”. A cantora diz que a inspiração das letras acontece naturalmente, “mas não sei se é necessariamente por autoestima alta ou amor-próprio”.

“Vejo a importância de você se amar, se aceitar do que jeito que você é, aprender a amar os seus defeitos, mas é uma batalha diária. Estou longe de ter tudo resolvido na minha cabeça.”

As letras de suas músicas, “vêm do coração”, inspiradas em situações vivenciadas por ela ou por amigas, e têm ajudado muitas minas. Giulia recebe feedbacks de meninas contando que as canções têm sido um bom motivo para elas refletirem e se sentirem mais poderosas.

“Não quero também passar a imagem que isso é algo que é super bem resolvido na minha cabeça porque na de ninguém é. Todo mundo tem seus dias, é importante falar sobre isso, mas saber que o amor próprio é o que nos guia, o presente mais valioso que a gente pode nos dar.”

O ano é dela!

Giulia está bombando e com várias músicas no top 100 do Spotify. Ela foi indicada em duas categorias para o Prêmio Multishow 2020: Música Chiclete do Ano (‘Menina Solta’) e na categoria Experimente. No MTV MIAW 2020, ela concorre nas categoria Hino do Ano (‘Menina Solta’).

Ela está nas paradas das principais plataformas de música. “Se essa Vida Fosse um Filme” ocupou a 25ª posição do Spotify no dia 17/9. No mesmo dia, “Menina Solta” apareceu na 51ª e “Não Era Amor” entrou na posição 73.

No YouTube, “Se Essa Vida Fosse Um Filme” também apareceu no top 100 e está com mais de 28 milhões de visualizações. “Menina Solta”, sucesso também em Portugal, está com mais de 133 milhões de visualizações no YouTube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *