Jovem admite ter bebido e não se lembrar de batida que matou 3, diz polícia

O motorista do carro responsável pelo acidente que matou três jovens em Niterói (RJ), no dia 8 de abril, confirmou em depoimento à polícia que ingeriu bebida alcoólica antes de dirigir. Leonardo Moraes da Silva Pagani, de 19 anos, afirmou às autoridades que não se lembra do momento da batida. O acidente ocorreu após Pagani perder o controle do carro e capotar. Emmily Miranda, de 20 anos, uma das vítimas, chegou a gravar um vídeo no interior do veículo dizendo: “a gente vai morrer”, em tom descontraído. Ela filmou a velocidade alcançada pelo carro – mais de 90 km/h. O motorista também foi flagrado dirigindo sem as mãos ao volante.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Fábio Barucke, o motorista do carro disse em depoimento que não tem lembranças do acidente.

Ele disse que não se lembra do momento do acidente, mas reconheceu que bebeu antes de dirigir em alta velocidade. Disse que bebeu pouca cerveja. O caso foi enviado para o Ministério Público do Rio e estamos aguardando a decisão da Justiça”

Depois de adiar por duas vezes o depoimento, Leonardo foi ouvido e indiciado por homicídio com dolo eventual por assumir o risco do resultado. Caso seja condenado, ele pode pegar de seis a 20 anos de prisão. Leonardo responde ao processo em liberdade e não há previsão de que seja efetuado um pedido de prisão.

Relembre o caso

O acidente ocorreu às 23h20, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, no bairro de Piratininga, em Niterói. Cinco jovens voltavam de um restaurante de comida japonesa quando o motorista perdeu o controle do veículo e capotou. Três pessoas morreram no local: Emmily Miranda, estudante de veterinária, Gabriel Palmieri, de 19, estudante de educação física, e Roberta Miranda, de 17. Pagani e um outro amigo ficaram feridos e foram socorridos para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no bairro do Fonseca.

A mãe de Emilly, Paula Camacho, contou que a filha havia conhecido o motorista do veículo na mesma noite do jantar. Leonardo era um amigo em comum. Paula soube do acidente por um policial militar que atendeu o celular da filha. Já Renata Costa, mãe de Gabriel, soube do acidente por uma amiga do filho. Gabriel e o motorista do veículo não se viam há um tempo e se reencontraram quatro meses antes de ocorrer o acidente.

 

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *