Cientista russo que trabalhava por vacina contra Covid-19 morre após cair do 14º de prédio: ‘Circunstâncias estranhas’

Um renomado cientista biomédico russo, de 45 anos, que trabalhava para a obtenção de vacina contra a Covid-19, foi encontrado morto após cair de uma janela do seu apartamento, no 14º andar de prédio em São Petersburgo (Rússia), no último sábado (19/12).

Alexander Kagansky estava usando apenas roupa íntima quando foi encontrado por um vizinho. Havia marcas de facadas no seu corpo.

Autoridades locais abriram uma investigação de assassinato. Um suspeito, de 45 anos, foi detido, de acordo com o “Moskovsky Komsomolets”, que classificou a morte como ocorrida em “circunstâncias estranhas”. Mas, nesta segunda-feira, por falta de provas e após teste de detecção de mentira, ele acabou liberado

Agentes trabalham com a hipótese de que tenha havido uma briga antes da queda de Kagansky.

Porém, o suspeito liberado, que foi identificado como amigo de infância de Kagansky, disse à polícia que eles estavam comemorando o aniversário do cientista quando ele mesmo se esfaqueou e saltou para a morte, disse o “Moscow Times”.

O site de notícias russo “Fontanka” identificou o suspeito como jornalista Igor Ivanov. A investigação continua.

Até 2017, durante 13 anos, o cientista trabalhou na Universidade de Edimburgo (Escócia) e na Universidade de Maryland (EUA), destacando-se em pesquisas sobre câncer, com publicações nas mais prestigiadas revistas científicas do mundo. Depois, ele retornou à Rússia. Mais recentemente, ele estava trabalhando como diretor do Centro de Medicina Genômica e Regenerativa em universidade federal em Vladivostok.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *